• Twitter
  • Facebook

Meio Ambiente

30/08/2017

Cida e Alckmin reforçam parceria para o Projeto Angra Doce

As ações do Projeto Angra Doce foram os temas da reunião da governadora em exercício Cida Borghetti e o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, nesta terça-feira (29), no Palácio dos Bandeirantes. O secretário do Meio Ambiente e Recursos Hídricos do Paraná, Antonio Carlos Bonetti, também participou da reunião.

“Tivemos um bom encontro para discutir maneiras de acelerar o projeto Angra Doce, que é uma arrojada iniciativa de estímulo e promoção do turismo sustentável na divisa dos dois estados”, afirmou Cida. “Com ações integradas, e respeito ao meio ambiente, vamos trabalhar em conjunto com as prefeituras para elevar o índice de desenvolvimento das cidades da região, com geração de empregos e mais qualidade de vida”.

Os governos do Paraná e de São Paulo firmaram parceria para estruturar ações turísticas na região de Angra Doce, que se localiza no entorno da Usina Hidrelétrica de Xavantes, na confluência dos rios Paranapanema e Itararé. Um protocolo de intenções, assinado em 3 de fevereiro de 2017, pelos governadores Beto Richa e Alckmin, tornou a região formalmente reconhecida como área de especial interesse turístico. Os 15 municípios abrangidos iniciaram o planejamento estratégico participativo e integrado da região.

Na reunião, Cida e Alckmin discutiram os passos do projeto e o alinhamento de ações para a atração de empreendimentos, promoção de esportes náuticos e da pesca. “Paraná e São Paulo são estados irmãos e têm interesse comum em desenvolver esta região, garantindo progresso e oportunidade para a população”, afirmou Alckmin.

REGIÃO - O projeto de Angra Doce engloba cinco cidades do Paraná - Carlópolis, Jacarezinho, Ribeirão Claro, Salto do Itararé e Siqueira Campos - e dez de São Paulo - Barão de Antonina, Bernardino de Campos, Canitar, Chavantes, Fartura, Ipaussu, Itaporanga, Piraju, Ourinhos e Timburi.

A região é propícia para a prática de vários esportes, como rafting, canoagem, trekking, asa delta, parapente, equitação e pesca esportiva. Além disso, também possui cachoeiras, trilhas, praias artificiais e lugares históricos, como a ponte pênsil Alves de Lima, que foi destruída durante a Revolução Constitucionalista de 1932 e reconstruída quatro anos mais tarde.

A proposta, que é chancelada como projeto inovador pelo Programa Cidades da Organização das Nações Unidas (ONU), é montar uma governança envolvendo vários setores dois estados, envolvendo secretarias de governo, universidades e sociedade civil.

As ações estruturantes de curto prazo envolvem capacitação de agentes e de mão de obra para o turismo, apoio ao empreendedorismo e à instalação de micro e pequenas empresas locais; coleta seletiva, reciclagem e educação ambiental; criação de reservas legais, manejo adequado na produção agrícola e na produção de orgânicos, monitoramento da qualidade da água dos rios que abastecem a represa de Chavantes, apoio à piscicultura.

A médio e longo prazo, estão previstos projetos de infraestrutura nas rodovias, melhoria dos serviços de telecomunicações e também de instalações públicas de apoio ao turismo.

Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.