Meio Ambiente

24/11/2011

Governo apresenta Zoneamento Ecológico-Econômico do Litoral

Foi apresentada nesta quarta-feira (23), na sede da Emater, em Curitiba, a primeira etapa do Zoneamento Ecológico-Econômico (ZEE) do Paraná – Região Litoral. O trabalho foi executado por uma equipe técnica científica formada por funcionários de diversos órgãos estaduais, coordenados pela Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos e Instituto de Terras, Cartografia e Geociências (ITCG).

A exposição das informações foi feita pelo geógrafo Jurandyr Ross, professor da Universidade de São Paulo (USP). Segundo ele, o zoneamento é uma importante ferramenta para a implementação de um desenvolvimento sustentável, indicando meios para que ocorra paralelamente à conservação dos recursos naturais e com o menor impacto ambiental possível. “O zoneamento identifica áreas de expansão da ocupação urbana. Ele é instrumento indicativo para a criação ou impedimento de atividades sócio-econômicas nas regiões estudadas”, explicou.

Os trabalhos de ZEE de todas as regiões do Paraná têm conclusão prevista para o final de 2012. O Litoral foi escolhido para ser a primeira etapa a pedido do secretário de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Jonel Iurk. “Nós priorizamos a bacia litorânea em função das demandas surgidas em decorrência dos grandes investimentos que ali aportam. O zoneamento é instrumento para auxiliar na tomada de decisões estratégicas, baseadas em elementos técnicos”, disse o secretário. “É um desafio que exige uma grande capacidade analítica e de compreensão das variáveis ambientais e econômicas.”

O Instituto de Terras, Cartografia e Geociências (ITCG) é a autarquia da secretaria responsável pelo desenvolvimento do ZEE. Segundo o presidente da instituição, Amílcar Cabral, trata-se de um importante instrumento para delinear a ocupação do território paranaense. “O zoneamento volta-se para a promoção de ações e geração de produtos que permitam vislumbrar uma coesão social econômica no território paranaense”, afirmou.

O secretário estadual da Indústria, Comércio e Assuntos do Mercosul, Ricardo Barros, também esteve na apresentação e ressaltou a importância do ZEE. “Precisamos liberar áreas para a produção, mas também estabelecer mecanismos de compensação ambiental. A infraestrutura para a região Litoral tem grande potencial de crescimento, principalmente com a futura exploração do pré-sal. O ZEE é um mecanismo importante para o desenvolvimento do Estado, para a definição de investimentos de longo prazo e que precisam de diretrizes“, disse o secretário.

O mapeamento do Litoral reuniu informações e características das áreas dos municípios da região, identificando limitações, fragilidades, potencialidades e aptidões. O documento ainda aponta tendências para as regiões e propõe restrições a certas atividades sócio-econômicas.

Fonte: Agência de Notícias do Paraná

Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.