Geração de Energia


O Brasil tem o privilégio de possuir numerosos rios de aproveitamento hidrelétrico, por serem encachoeirados e de grande vazão. O parque hidrelétrico brasileiro é um dos maiores do mundo. A energia produzida nas usinas hidrelétricas é renovável graças ao ciclo hidrológico. As usinas hidrelétricas não necessitam de combustível porque são “movidas” à água. Por esta razão, o custo de operação e de manutenção de uma hidrelétrica é bem inferior ao de uma termoelétrica.

Usos múltiplos dos reservatórios

As principais bacias hidrográficas do Brasil foram reguladas pela construção de reservatórios, os quais isoladamente ou em cascata, constituem um importante impacto qualitativo e quantitativo nos principais ecossistemas de água interiores. Os reservatórios de grande ou pequeno porte são utilizados para inúmeras finalidades: hidroeletricidade, reserva de água para irrigação, abastecimento de água potável, produção de biomassa (cultivo de peixes e pesca intensiva), transporte (hidrovias) recreação e turismo.

Inicialmente, a construção de hidrelétricas e a reserva de água para diversos fins foram o principal propósito da formação de reservatórios pela construção de barragens. Nos últimos vinte anos, os usos múltiplos desses sistemas diversificaram-se, ampliando a importância econômica e social destes ecossistemas artificiais e, ao mesmo tempo, produzindo e introduzindo novas complexidades no seu funcionamento e impactos

Impactos da formação de reservatórios

Os impactos da construção de represas são relativamente bem documentados no Brasil. Estes impactos estão relacionados ao tamanho, volume, tempo de retenção do reservatório, localização geográfica e localização no continuum do rio.

Impactos positivos da construção de reservatórios:

♦ Produção de energia e possibilidade de usos múltiplos (recreação, abastecimento público, etc);
♦ Retenção de água regionalmente (reserva de água?);
♦ Aumento do potencial de água potável e de reserva de recursos hídricos;
♦ Criação de possibilidades de recreação e turismo;
♦ Aumento de potencial de irrigação;
♦ Aumento e melhoria de navegação e transporte;
♦ Aumento da produção de peixes através de aqüicultura;
♦ Aumento das possibilidades de trabalho para a população local;

Os principais impactos negativos detectados são:

♦ Inundação de áreas agricultáveis
♦ Perda de vegetação e de fauna terrestres
♦ Interferência na migração de peixes
♦ Mudanças hidrológicas à jusante da barragem
♦ Alterações da fauna do rio
♦ Interferência no transporte de sedimentos
♦ Aumento da distribuição geográfica de doenças de veiculação hídrica
♦ Perdas de heranças históricas e culturais, alterações em atividades econômicas e usos tradicionais da terra, efeitos sócio-econômicos e culturais da relocação compulsória de populações, saúde da população, entre outros.
♦ Problemas de saúde pública, devido à deterioração ambiental.
♦ Problemas geofísicos devido à acumulação de água foram detectados em alguns reservatórios
♦ Perda de biodiversidade terrestre e aquática
 
 
Recomendar esta página via e-mail: